25 de Novembro: Dia Internacional da Eliminação da Violência contra as Mulheres

25 de Novembro: Dia Internacional da Eliminação da Violência contra as Mulheres

O dia 25 de Novembro é o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra as Mulheres. A data foi instituída pela Assembléia Geral da ONU em 1999 como um marco a favor dos direitos das mulheres, escolhida em memória das três irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, assassinadas em 1960 pelo ditador Rafael Trujillo da República Dominicana.

Enquanto temos políticas que aumentaram a integridade física das mulheres, como as Delegacias da Mulher e a Lei Maria da Penha, o ambiente virtual continua nocivo, com um estudo da ONU declarando que, em 2016, 73% delas sofreu violência no espaço virtual, considerado ainda um lugar nebuloso para as usuárias. Assustadoramente, uma mulher tem 27 vezes mais chance de ser assediada nas redes do que um homem. Esses dados mostram que a segurança e fiscalização na internet precisam, urgentemente, de reforços.

No dia a dia, sem perceber, as pessoas acabam dando pistas sobre suas rotinas e vida. O Pew Research Center realizou uma pesquisa que concluiu que 26% das mulheres já sofreram perseguição virtual por stalkers, o que causa insegurança e medo entre esta minoria.

O Governo Federal, por entender a gravidade dos crimes cometidos contra as mulheres brasileiras, vem promovendo, desde 2017, diversas campanhas e seminários sobre a violência de gênero nas mídias sociais. A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e a Secretaria da Mulher da Câmara estão desenvolvendo projetos para os próximos anos com a mesma temática. O envolvimento do Estado mostra que este é um assunto que deve ser debatido na sociedade.

O AdoteUmCara, por sua trajetória de empoderamento feminino, considera importante a criação de ferramentas e garantias de serviços que atendam - e protejam - as mulheres que estão dentro de sua plataforma.

Para que o app consiga assegurar a integridade de suas usuárias, ele conta com uma equipe que monitora e checa os perfis e fotos de quem quer integrar o aplicativo. Isso faz com que os perfis com fotos inapropriadas sejam barrados, por exemplo. Além disso, esse time também atende e acolhe as mulheres que denunciam homens dentro do app por se sentirem assediadas, humilhadas ou vítimas de preconceito.

“Se eu sou mulher, busco um espaço em que me sinta segura. Nós entendemos a realidade brasileira e por isso tentamos sempre manter um ambiente amigável em nossa plataforma. É importante que um aplicativo de relacionamento inspire confiança nas usuárias. Queremos reverter a ideia de que este não é um local seguro para encontrar um amor”, diz Karolina Ciccarelli, chefe de projetos do AdoteUmCara Brasil.

Sobre AdoteUmCara

Fundado pelos empresários franceses Manuel Conejo e Florent Steiner, o AdoteUmCara já seduziu mais de 27 milhões de pessoas em todo o mundo, e conta com o mesmo número de mulheres e homens entre seus usuários. 

Tendo um conceito simples como a chave do seu sucesso, baseado na inversão de papéis, a marca continua seu desenvolvimento internacional em dez países e em dois continentes, mantendo-se não convencional e um tanto transgressora. Disponível no site AdoteUmCara e no aplicativo mobile para Android e iPhone.