Pequenas traições? Descubra o que os brasileiros pensam sobre este tema!

Pequenas traições? Descubra o que os brasileiros pensam sobre este tema!

Fantasiar sobre um ex, mandar mensagens de texto durante horas com alguém do trabalho, enviar emojis quentes para outra pessoa ou dar like nas fotos de seu ex. Você chamaria essas coisas de traição?

Provavelmente não, mas talvez de micro-traição. O termo tem crescido em popularidade nos últimos anos com o surgimento de novas tecnologias, redes sociais e aplicativos de relacionamento.

A terapeuta de casais Lindsey Hoskins, define este fenômeno como "um conjunto de comportamentos que se equilibram no limite da fidelidade e da infidelidade". No entanto, Hoskins acrescenta que é quase impossível definir inequivocamente o que seria uma micro-traição porque "o limite é diferente dependendo da relação e das pessoas que a compõem".

Embora a linha seja tênue, uma enquete realizada pelo AdoteUmCara mostra que pelo menos 1 em cada 5 entrevistados ficariam chateados se seu parceiro enviasse uma mensagem de texto a um colega de trabalho à noite. Da mesma forma, 87% dizem que enviar um emoji sexy a alguém que não seja seu parceiro é uma quebra de confiança em um relacionamento.

Fantasias sexuais são vistas como infidelidade?

As fantasias sexuais são uma forma de entrar em contato com nossas próprias necessidades e de nos desligarmos do mundo exterior. Eles são uma manifestação saudável de nossa sexualidade e servem para enriquecer e diversificar nossa vida erótica. 

Mas e se fantasiarmos com nosso ex, por exemplo? Dr. Justin J. Lehmiller, psicólogo e pesquisador do Instituto Kinsey, em seu livro Tell Me What You Want: The Science of Sexual Desire and How It Can Help You Improve Your Sex Life, confirma que este mesmo tipo de fantasia está entre as cinco mais populares, atrás apenas do BDSM e do sexo em grupo.

A pesquisa do Dr. Lehmiller se reflete nas respostas dos brasileiros. Quase 50% dos entrevistados admitem fantasiar com um ex, mesmo que estejam em uma relação estável. Isto é frequentemente um reflexo totalmente incontrolável e independente. Comparações ou simplesmente saudade do que nos é familiar não devem nos preocupar, mas este desejo não deve ser completamente ignorado.

O que deve suscitar uma dúvida?  

O sigilo é o primeiro sinal de alerta das micro-traições: conversas secretas com seu ex, mentir sobre as pessoas com quem você está saindo, esconder seu telefone do seu parceiro por culpa, etc. O problema com a micro-traição é que ela é muito sutil. Sendo assim, se você acha que tem motivos para se importar, pode cair na armadilha de ser obsessivo ou excessivamente ciumento. 

"A chave aqui é ser objetivo e racional ao invés de subjetivo e emocional". Lançar acusações não comprovadas não vai ajudar. Por outro lado, continuar com a micro-traição pode criar um padrão que enfraquece a relação. De acordo com um estudo do AdoteUmCara, 87% das brasileiras não esconderiam seu descontentamento se o companheiro curtisse as fotos da ex nas redes sociais. Portanto, esta é uma razão objetiva e racional para ter uma conversa honesta com seu parceiro", - diz Karolina Ciccarelli, gerente de projetos do aplicativo AdoteUmCara.

Nunca subestime a micro-traição. É um sinal claro de que as coisas não estão indo como deveriam. Vale a pena considerar o motivo pelo qual elas passaram a acontecer para, com base nisso, tomar medidas que sejam positivas não apenas para o relacionamento, mas mais importante ainda, para si mesmo.

Sobre AdoteUmCara

Fundado pelos empresários franceses Manuel Conejo e Florent Steiner, o AdoteUmCara já seduziu mais de 27 milhões de pessoas em todo o mundo, e conta com o mesmo número de mulheres e homens entre seus usuários. 

Tendo um conceito simples como a chave do seu sucesso, baseado na inversão de papéis, a marca continua seu desenvolvimento internacional em dez países e em dois continentes, mantendo-se não convencional e um tanto transgressora. Disponível no site AdoteUmCara e no aplicativo mobile para Android e iPhone.