Por que vamos em encontros: sexo ou companhia?

Por que vamos em encontros: sexo ou companhia?

Para apimentar sua vida cotidiana ou para encontrar sua alma gêmea? Por que gostamos de nos aventurar no mundo dos encontros?

Ficar em casa pode ter te deixado com saudade da sua vida social, o que naturalmente inclui ir em encontros. Mas o que é que você gosta e procura quando está se aventurando no mundo dos encontros?

"Para descobrir, perguntamos a nossos usuários e descobrimos que, na realidade, o que nos motiva até hoje é nosso próprio desejo e decisão de encontrar alguém, 84% de nossos entrevistados responderam que o fazem simplesmente porque querem”, disse Karolina Ciccarelli, gerente de projetos do AdoteUmCara.

"Muitos confessaram ter saído com um cara só para 'evitar o tédio' (64%) e afirmaram que, muitas vezes, o sexo pode ser sua motivação principal para ir a um encontro. Além disso, a maioria das pessoas também confessou transar logo após um primeiro encontro. Finalmente, o que nos leva a sair com alguém? O desejo de não estar sozinhos ou um impulso mais físico?", se questiona ela.

Como diferenciamos o que estamos procurando em alguém e o que esse alguém está buscando em nós? Como distinguimos o que realmente queremos encontrar quando pensamos em nos relacionar?

Sexo vs. companhia          

Embora dependa muito de cada pessoa, em geral, estamos todos à procura de uma mistura de ambos. Longe de serem contraditórios, os dois elementos são fundamentais em uma relação. A busca de um parceiro é motivada pela química que nos conecta, não apenas no plano emocional, mas também no físico.

Portanto, se, em condições normais, você vai a encontros para não se entediar sozinho em casa, ou para apimentar a rotina, isso não é necessariamente uma coisa ruim. Também não é ruim querer apimentar seus encontros porque gosta de aproveitar sua vida sexual. É tudo uma questão de encontrar o equilíbrio.

Expectativas 

Os padrões, que a sociedade nos levou a acreditar serem a única coisa "aceitável" a fazer, às vezes acabam influenciando o que pensamos que seria "o certo". Em outras palavras, mesmo que estejam sendo lentamente deixadas para trás, pode acontecer que acreditemos na história de que uma mulher bem sucedida deve sempre ter dinheiro, um emprego e um companheiro, ou que com tal idade ou em tal momento da sua vida, ela já deve ter encontrado um parceiro estável.

"Infelizmente, isto às vezes cria pressão para encontrar uma pessoa, o que pode levá-la a tomar decisões erradas ou a transformar seus relacionamentos em caos. É por isso que é melhor deixar essas expectativas sociais fora da fórmula", comentou a representante do aplicativo de encontros.

A "química"         

Embora possa ser um pouco "estranho" admitir e você possa até se sentir um pouco "culpado", a realidade é que há pessoas com quem você quer coisas diferentes. Por exemplo, mesmo que você se sinta atraído por alguém, pode ser que não se veja tendo nada mais sério com essa pessoa, ou aquele outro cara pode ser perfeito para apresentar a seus pais... mas não há a mesma química.

Analisando essa "vibração" que você sente desde as primeiras interações, é possível decidir que tipo de dinâmica seguir. O importante é ser honesta e direta com a pessoa deixando claro se você o vê apenas como alguém agradável para sair ou se você realmente quer que as coisas evoluam com o tempo.

Conheçam um ao outro         

Desde reconhecer que você é uma mulher atraente e dar a si mesma aquele impulso de autoestima que precisava, até fazer uma autoanálise... Ir em encontros também é um espaço interessante para conhecer quem somos, como os outros nos percebem, o que queremos e o que não queremos, e também nos leva a nos reavaliarmos para que aprendamos a ser melhores.

"Muitas dessas lições vêm naturalmente, de forma não planejada, mas muitas vezes acontece de voltarmos a ir em encontros com o intuito de deixar as coisas do passado e  encontrar novos caminhos, que nos mostrem que também não há problema em aproveitar nosso tempo e a companhia de outros. O segredo é estar ciente disso e aproveitar ao máximo esses encontros", disse Ciccarelli do AdoteUmCara.

 

Sobre AdoteUmCara

Fundado pelos empresários franceses Manuel Conejo e Florent Steiner, o AdoteUmCara já seduziu mais de 27 milhões de pessoas em todo o mundo, e conta com o mesmo número de mulheres e homens entre seus usuários. 

Tendo um conceito simples como a chave do seu sucesso, baseado na inversão de papéis, a marca continua seu desenvolvimento internacional em dez países e em dois continentes, mantendo-se não convencional e um tanto transgressora. Disponível no site AdoteUmCara e no aplicativo mobile para Android e iPhone.